Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



all about eve

02.04.06

 Subitamente, um som antigo, lindo e mal sintonizado, a meio de uma viagem longa, chega-me distorcido às amígdalas, numa náusea de prazer dorido que é quase auto-comprazimento. E eu, até então dentro da mais estrita legalidade, a conduzir no absoluto cumprimento do código da minha estrada, do lado de cá do traço contínuo que me separa de ti, resvalo em contramão e derrapo no asfalto oleoso da tua presença. De água na boca, ouvidos em stand-by e surda para os barulhos do mundo, apresso-me ao destino e, sem mesmo desfazer as malas, vasculho emules em busca do ficheiro original, não corrompido pelo suborno dos anos ou pelos caprichos das ondas hertzianas. Saco-o rapidamente, de vários anfitriões em simultâneo, afinal, muitos mais há por aí que, como eu, se confessam através do copy-paste descarado dos amores dos outros. No fundo, no fundo, o Amor é igual para todos, só que alguns limitam-se a saber contá-lo melhor (If only I could find out the way to sail you).

Autoria e outros dados (tags, etc)

escrito por sofia vieira às 21:39



Um blogue de Sofia Vieira

Reservad@s todos os Direitos de Autor. O conteúdo deste blogue encontra-se registado no IGAC, sendo proibida a sua reprodução sem autorização e/ou menção da proveniência e autoria.


Pesquisar

  Pesquisar no Blog